A capoeira de Emaús - com as crianças em Belém - tem dendê!!

Kikuko




この文章は汎アマゾニア日伯協会会報「パンアマゾニア」第249号(2008.3)に掲載されています



 O meu professor de capoeira angola me falou que a frase “tem dendê” significa “tem alguma coisa muito boa”. Eu escreverei sobre a minha experiência de capoeira angola com crianças em Belém do Pará. Essa experiência foi especial e importante pra mim.

 Eu nasci e cresci em Chiba, a província irmã do estado do Pará. Eu viajei ao Brasil no ano de 2007 e fiquei seis meses em Belém trabalhando voluntário numa ONG (Organização Não Governamental) que se chama “Movimento República de Emaús”. Emaús é uma ONG de educação social e ajuda muitas crianças e adolescentes pro meio de vários projetos de arte e educação, preparação pro primeiro emprego etc..

Antes de eu partir do Japão, eu já tinha vontade de treinar capoeira com as crianças porque eu comecei capoeira no Japão e gosto muito de capoeira e também de crianças. Eu sabia que Emaús tem a oficina de capoeira, por isso estava esperando treinar com as crianças, mas eu não sabia como poderia ajudar nessa aula. Quando eu cheguei em Belém, em junho passado, Emaús havia chamado os professores de capoeira angola e uma nova oficina nova para crianças havia começado, na qual eu participei.

 Logo depois de participar da aula, eu descobri dificuldades. Eles tinham tanta energia e gostavam de brincar mais do que treinar capoeira, por isso, os professores tinham que trabalhar muito antes de ensinar a capoeira. Quase sempre, alguns meninos começavam a brincar sem treinar e faziam a bagunça e barulho durante a aula. Também havia crianças que saíam da aula sem falar nada e deitavam na roda de capoeira. Eu nunca vi, nem imaginei um aluno de capoeira deitado na roda, a roda da cultura nacional. Quando um japonês imaginaria um lutador do sumo deitado no dohyo, a arena de sumo?

Mas também descobri coisas boas. Alguns meninos já conheciam capoeira e o movimento deles são muito bonito. Muita gente tem potencial para jogar capoeira. Por falar em música, eu me admirei porque eles aprendem tocar muito rápido os instrumentos. Também havia uma menina que joga e toca muito bem. Eu gostei todo disso.
Eu conversei com os professores e as educadoras de Emaús. Eles me contaram sobre os problemas das crianças, alguns trabalharam na rua e outros sofreram de violência domestica. Por causa da situação riscos, muita gente não tinha oportunidade para aprender as coisas importantes que todas as crianças precisam. Eu fiquei muito triste, e desejei que eles tornassem a gostar mais de capoeira, porque eu acredito que as crianças podem aprender muita coisa durante a aula de capoeira.

 Os professores de capoeira sempre tentaram mostrar e ensinar o movimento bonito de capoeira angola. Ao mesmo tempo, eles ensinaram a importância do respeito, força de coração e saúde para a vida deles. Também contam sobre a história e música de capoeira angola. Eu tentei ajudar para a aula não ficar bagunçada. Antes da aula, sempre passei vassoura na sala com a ajuda de alguns e gritando para outros: “Tira sandália da sala!!”.

 Pouco a pouco, eles começaram a se interessar e ter vontade de aprender. Eu também tive mais vontade de aprender capoeira angola. Nós aprendemos a postura de movimento e vários seqüências de dupla e música.


Em outubro, nós tivemos pela primeira vez a roda, o jogo formal. As crianças jogaram com os professores na frente dos amigos e educadores deles. Todo mundo jogaram bonito usando o movimento que já aprenderam. Em novembro, teve uma pequena apresentação de música de capoeira aos colegas deles. Eles tocaram e cantaram muito bem, o menino de 6 anos, muito bagunceiro, tocou o pandeiro sem errar.

 Fiquei feliz porque muita gente aprendeu capoeira angola! Alunos antigos começaram a cuidar dos novos alunos. A bagunça e o barulho ainda continuavam, mas quando alguns brincavam durante a aula, outros tentavam parar-los.



Durante seis meses com crianças e a capoeira angola, eu também aprendi muita coisa, como por exemplo, a língua, o costume da região norte, os problemas sociais do Brasil, a importância de educação, a beleza e a energia das crianças etc..

 Uma coisa inesquecível foi a voz bonita das crianças cantando música de capoeira angola. A música deles sempre me deu a energia. Eles sempre cantaram “tem dendê, tem dendê, a capoeira tem dendê,o jogo de angola tem dendê...”. Agora, aqui no Japão, eu me lembro disso e sinto muita saudade. Um dia eu queria voltar pra lá e jogar capoeira com eles de novo.

 O Emaús está aberto pra qualquer pessoa que ajuda nosso projeto para as crianças e adolescentes.






Copyright(C) 2021 Movimento República de Emaús Japan ALL Rights Reserved.